segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

INTRODUÇÃO


Considerando-se as especificidades afetivas, emocionais, sociais e cognitivas das crianças de zero a seis anos, a qualidade das experiências oferecidas que podem contribuir para o exercício da cidadania devem estar embasadas no respeito à dignidade e aos direitos das crianças, consideradas em todas as suas diferenças, identificando no simples ato de brincar, uma forma de expressão, pensamento e comunicação, bem como seu acesso aos bens sócio cultural disponível ampliando o desenvolvimento das capacidades relativas à expressão, pensamento, interação social, ética, estética, comunicação, socialização, atendimento aos cuidados essenciais associados à sobrevivência e ao desenvolvimento de sua identidade, pois ela tem direito, antes de tudo, de viver experiências prazerosas nas instituições.


O TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL


Pensar em Educação Infantil pressupõe analisar que tipo de trabalho se pretende desenvolver nas creches e pré-escolas. Estas devem ser por excelência, espaços constituídos a partir da própria criança e de suas experiências e de seu meio social. Neste sentido, a proposta pedagógica desenvolvida precisa estar voltada à formação integral dos pequenos. Para isso eles devem ser concebidos como seres históricos e sociais, construtores de conhecimento e cultura e que estão em constante evolução.
A infância é a fase da vida em que mais se aprende. Neste período, quanto maior forem os estímulos, melhores serão os resultados obtidos na formação cognitiva social e emocional das crianças. Portanto é preciso que se promovam, nas instituições de Educação Infantil, momentos de constantes aprendizagens, para que as crianças possam brincar, se socializar, trocar experiências entre si e os adultos construírem seus próprios conhecimentos e refletirem de maneira crítica sobre tudo o que vivenciam.
Uma das melhores ferramentas de ensino usadas pelos educadores é a brincadeira, seja ela espontânea, sem intervenção, ou dirigidos com objetivos pré-definidos. Tendo em vista que a educação e a ludicidade ocupam o mesmo espaço nas creches e pré-escolas, cabe ao educador proporcionar às crianças momentos de ensino e diversão as quais estarão interagindo com as demais, ampliando sua capacidade socializadora, desenvolvendo a imaginação e, também obtendo maior coordenação motora.
A criança não chega até a escola sem seus conhecimentos. Ela traz consigo um vasto repertório de experiências e informações advindo de suas interações com os membros de sua família. Neste sentido, o educador precisa considerar o senso comum e utilizá-lo como o ponto de partida para a exploração, a descoberta e a conseqüente ampliação do repertório de conhecimento da criança. Vale lembrar que as práticas pedagógicas destinadas às crianças devem estar sempre em consonância com a realidade das mesmas. Por isso o trabalho docente deve considerar as manifestações culturais, trazidas pela criança, bem como o meio social em que ela está inserida.
Esta postura valoriza cada indivíduo em suas peculiaridades e acaba por fomentar nele o respeito e a consideração pelo outro, além de propiciar uma aprendizagem significativa e, portanto não alienada do contexto da criança. Desenvolver um trabalho realmente significativo na Educação Infantil implica em uma série de considerações que o educador precisa fazer a cerca dos temas a serem trabalhados com as crianças. Ele deve atentar-se para o que ocorre fora da sala de aula e conhecer os interesses e as necessidades de sua clientela.
Desta forma, faz-se de suma importância uma proposta de ação pedagógica que tenha como temas geradores à família, as diferenças sociais e o trabalho, atentando sempre para os objetivos a serem alcançados. Assim, a Educação Infantil, apesar de não ser valorizada por algumas pessoas, geralmente pais das crianças que freqüentam creches, é a primeira e a mais importante fase da educação. Neste início da vida escolar, as crianças entram em contato com um universo profundamente marcado por sua função educativa, que contribui para a sua formação integral enquanto aluno e cidadão de direitos e deveres.
Neste cenário, o educador assume um papel de grande importância e responsabilidade, pois representa o guia que orienta a criança em suas buscas e descobertas. Além de ser o maior exemplo de cidadão honrado e ético, detentor de princípios moral e boa conduta, o educador deve fazer com que a criança se sinta protegida em um ambiente repleto de afeto e carinho, potencializando os resultados do ensino e da aprendizagem.
O educador precisa ter em mente seus objetivos, a fim de avaliar as atividades que ele planeja e as suas próprias atitudes, observando se elas atendem o desenvolvimento dessas crianças de acordo com suas faixas etárias. Deve atuar de maneira extremamente próxima às crianças, lembrando que na educação infantil, o simples brincar é educar, educar é cuidar e que avaliar o desenvolvimento do grupo onde atua e de cada criança, em particular, precisa ser feito, porém, jamais compará-las umas às outras, compreendendo que cada uma delas carrega histórias de vida e ritmos de desenvolvimento próprios.


CONCLUSÃO


A Educação Infantil precisa desenvolver na criança sua capacidade de aprender a aprender, de pensar, conviver num ambiente democrático, fazendo-a sentir-se segura e acolhida no ambiente escolar, utilizando este novo espaço para ampliar suas relações sociais e afetivas, socializar-se, a fim de construir sua autonomia, respeitar a diversidade, interagir com o meio de maneira independente, alerta e curiosa. A organização do trabalho pedagógico na Educação Infantil deve ser orientada pelo princípio básico de procurar proporcionar, à criança, o desenvolvimento da autonomia, isto é, a capacidade de construir as suas próprias regras e meios de ação, que sejam flexíveis e possam ser negociadas com outras pessoas, sejam eles adultos ou crianças. Obviamente, esta construção não se esgota no período dos 0 aos 6 anos de idade, devido às próprias características do desenvolvimento infantil. Mas tal construção necessita ser iniciada nesta etapa da vida das crianças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
©2007 '' Por Elke di Barros